Entenda mais a respeito da raça Bull Terrier

O lindo pet Bull Terrier na História

A razão da concepção do Bull Terrier no século XIX não é inteiramente coerente com o Bull Terrier contemporâneo. Antigamente, na Inglaterra, existiam muitos esportes de briga e caça para cachorros, por isso o propósito da proveniência do Bull Terrier, esse cachorro que é a mistura dos cães Bull e Terrier. A sua origem está associada a um cara denominado James Hinks, da cidade de Birmingham (Inglaterra), que, após vários anos de experimentações, mostrou essa raça em meados do século XIX.
Com o intuito de se buscar um perfeito cão para combates, considerou-se naquele tempo cruzar com o Dálmata, assim originou-se o Bull Terrier que temos conhecimento. As rinhas entre espécimes (fosse entre cães ou entre cães e touros, entre outros animais) eram muito famosas na Inglaterra antiga – vindo a ser feitas irregularmente naquele território por muito tempo, mesmo depois da sua coibição.
Para entender a criação desta espécie (que pode ser tida como a transformação das misturas entre Bulldogs, English White Terriers e Dálmatas) é preciso compreender que os antigos Bulldogs que lhe deram origem são descendentes do cachorros mastins – habitualmente usados para confrontar bichos de extenso porte físico das mais diferentes raças.
O fundamental intuito era se produzir um exímio cão para lutas, embora, com as inúmeras fusões que foram realizadas ao longo dos tempos, deu-se origem ao que conhecemos presentemente do Bull Terrier.

Atributos da Raça Bull Terrier

A disciplina é uma coisa presente nestes cães, eles são muito obedientes. Ele é muito ativo, bem forte e com suas medidas bem proporcionais. Sua mandíbula é muito resistente e vigorosa, sua cabeça não apresenta recortes ou covas, além de sua cabeça ser comprida, resistente e volumosa. Seus olhos são fundos, estreitos e levemente elevados, com olhar penetrante. Suas orelhas são próximas, inclinadas verticalmente e pequenas.
O corpo do Bull Terrier é bastante redondo, com nítido arqueamento das costelas e enorme altura da cernelha ao esterno, de forma que este esteja bem aproximado do solo. A cauda da raça geralmente não é pequena, de inserção não muito alta.
O pelo do Bull Terrier é estreito, vasto e inflexível ao contato. O Bull Terrier mais habitual é branco, inteiramente ou com algumas manchas coloridas. E há o Bull Terrier plenamente pigmentado, com pequenas partes brancas.

Como cuidar de um Bull Terrier

Você deve diverti-lo com atividades físicas que incitem sua intelectualidade. Essa é uma raça dinâmica que gosta de correr, mas é preferível deixar este animal em um local seguro. Ele não necessita permanecer ao ar livre, todavia permanecendo dentro de casa, com acesso ao quintal.
Embora o Bull Terrier seja mais brando, carinhoso e calmo, é preciso que você faça de tal maneira que ele desfrute e gaste sua energia para não aborrecê-lo, seja com você ou com os indivíduos ao seu entorno. Caso ele não gaste toda a potência que tem acumulada, ele pode chegar a ser muito mais ofensivo e nervoso, e isso se deve ao modo como foi originado, sendo tido como um cão de combates.
Apartamento não é o ambiente propício para se ter um Bull Terrier, já que ele precisa de espaço para caminhar e distrair-se. Há indivíduos que têm espécimes como o Bull Terrier em espaços mais fechados, por outro lado, isso exige demasiado trabalho dos proprietários, que devem a todo instante instigar as distrações e a intelectualidade do animal (que já é enorme, tendo em mente que a espécie é a sexágésima sexta colocada no ranking que estabelece os cachorros mais astutos do mundo).
Não existem grandes trabalhos em relação ao pelo desta raça.

A Superioridade da raça Bull Terrier

Esta espécie não é aconselhada para todos os indivíduos, contudo as que o possuírem observarão muitas coisas afáveis. Seu gênio é distinto. A entrega total e fidelidade com sua família estão atados à sua agradabilidade e curiosidade, tornando o cão desta espécie um companheiro toda uma vida. O Bull Terrrier nos delicia enquanto investiga tudo em volta com o vigor de uma criança e a disposição perseverante de um detetive.
Quando mostram ao Bull Terrier um objeto que seja (podendo ser um bicho de pelúcia, uma bola de tênis, qualquer coisa), ele vai verificar, atender seus intentos, irá brincar com ele e, logo, começará a comer e destroçar o brinquedo. Sem utensílios para brincar, o Bull Terrier é, com certeza, criativo o suficiente para se conservar distraído. Essa raça, exatamente como as demais, adora estar fazendo alguma coisa a toda hora, principalmente divertir-se.

Problemas habituais do Bull Terrier

Ainda que seja, em geral, uma raça muito saudável, doenças vinculadas a hérnias e à pele podem acontecer nos cachorros da espécie, que também tendem a ser afetados por distúrbios de acne e até acrodermatite, uma séria doença que alcança os cachorros ainda bebês e provoca desde pelos enfraquecidos até o ressecamento dos coxins e lesões nas mais diversas extensões do corpo do espécime.
Eles são propensos a tornarem-se surdos, em um ou todos os ouvidos. Durante algum tempo esses problemas foram referidos à coloração clara, e inclusive por causa disso, foram permitidos os exemplares multicoloridos.
Caso você goste de cachorros mais submissos, é bem melhor refletir bastante antes de adquiri-lo, porém, caso você queira um cachorro astuto, este é o recomendável. Essa é uma espécie de característica inabalável, que dá a sensação de questionar as ordens que recebe e, por causa disso, não se sugere que tenha um dono inexperiente, mas sim, um que possua domínio em relação ao cão.
Esse cachorro é bastante firme ao treinamento, por isso ele leva mais tempo para compreender comparando-se com os demais. Com pessoas diferentes, ele não costuma ser ofensivo, entretanto não é alegre, a menos que seja socializado o mais cedo possível.

Filhote de Bull Terrier

Estes cachorros, quando filhotinhos, são capazes de ser muito arteiros e demolir tudo o que estiver ao seu redor. Eles, tal como os adultos, devem despender muita energia para não ficarem bastante ansiosos. Não são espécimes que se possa deixar solitários num apartamento ou abandonados num jardim do lar.
Caso o dono resida em apartamento, tenha muito tempo para se dedicar às práticas esportivas do cachorro, o Bull Terrier pode ser uma excepcional alternativa, pois, além de seu corpo pequeno, é um cachorro que late pouco e cujo pelo curto requer pouca manutenção.
O que irá definir se o seu cachorro vai ser violento ou não é o estilo de carinho que você dá para ele: seja carinhoso com o seu animal e você irá ter um cachorro dócil, disciplinado e bastante parceiro ao longo da existência.
E esse tipo de prática amorosa e de obediência necessita de ser sempre bem feita, visto que a potência do maxilar (e, então, da bocada) de um cachorro da raça pode ser excessivamente alta – associada, ainda, com a dos Pit Bulls – fazendo com que os acidentes com um cão Bull Terrier sejam muito delicados do que os ocorridos com a grande parcela das demais espécies conhecidas.

Curiosidades com relação ao Bull Terrier

Você terá muitos motivos para sorrir desse cachorro. Ele ama fazer brincadeiras a você, assim se habitue a percerbê-lo pulando e brincando desacompanhado, com o propósito de somente fazer você rir. Caso você faça parte das recreações, não irá se desiludir.
Caso ele não seja capaz de chamar a sua atenção, fique preparado. Admita ou não, o seu Bull Terrier irá chamá-lo. Eles irão fazer o que puder para conquistar o mínimo possível de agrado. Acredite ou não: seu Bull tentará “conversar” com você. No momento em que conseguir chamar a sua atenção, ele vai emitir alguma espécie de sinal.
Seu dono irá deliciar-se com isto, embora para muitos isso possa parecer estranho. Quando seu Bull Terrier está fora de casa e acha um arbusto ou um pedaço de relva alta e escolhe se abrigar, o cão andará devagar embaixo do arbusto e a seguir irá ficar completamente silencioso.
Vendo mais próximo poderá avistar o cachorro com um olhar enevoado, tal como se estivesse em transe, enquanto que a ventania sopra calmamente por cima dos arbustos e lhe acaricia as costas. Logo depois, sem qualquer causa exterior, o cão vai sair dali, saltará se ajeitando de seu refúgio e continuará andando. Alguns donos já perceberam isso ocorrer dentro da moradia inclusive, quando assentam a árvore de natal e inclusive não foi descoberta nem uma explicação lógica para esse hábito.