Como os cães e os homens se tornaram bons amigos?

Como os cães e os homens se tornaram bons amigos?

Um estudo sugere que os cães, provavelmente, evoluíram dos lobos entre 20 e 40.000 anos atrás. Anteriormente, pensava-se que os cães eram domesticados de duas populações de lobos que viviam a milhares de quilômetros de distância. Os pesquisadores estudaram o DNA de três cães encontrados em sítios arqueológicos na Alemanha e na Irlanda, que tinham entre 4.700 e 7.000 anos de idade. Esses animais antigos compartilhavam a ascendência com cães europeus modernos.

Ao analisar as taxas de mudança para o DNA do espécime mais antigo, os cientistas conseguiram colocar o tempo da domesticação de cães entre 20.000 e 40.000 anos atrás. Segundo os estudiosos, o processo de domesticação de cães começou quando uma população de lobos se mudou para os arredores de acampamentos de caçadores a fim de aproveitar as sobras de seus alimentos. Os estudiosos afirmam que aqueles lobos que eram mansos e menos agressivos, o que favorecia o processo de aproximação.

Embora os humanos não obtivessem, inicialmente, nenhum benefício desse processo, ao longo do tempo teriam desenvolvido algum tipo de relação simbiótica com esses animais, que foram, gradualmente, evoluindo para os cães que vemos hoje.

O DNA foi obtido a partir do crânio de um cão antigo

A história de como os cães vieram a ser domesticados por lobos é complexa e muito debatida. Os cientistas acreditam que os cães começaram a se mover ao redor do mundo, talvez com seus companheiros humanos, cerca de 20 mil anos atrás.

Cerca de 7.000 anos atrás, eles estavam em praticamente todos os lugares, embora não fossem o tipo de cães que considerássemos animais de estimação. Eles provavelmente se pareceriam com os cães que hoje chamamos de cães da vila, que são de criação livre, mas que não viveriam em casas de pessoas específicas e teriam um olhar semelhante para todas elas, de acordo com os pesquisadores.

Os cães foram, mais tarde, criados e domesticados por suas habilidades como caçadores ou pastores, gerando centenas de raças modernas. A pesquisa sugere que mesmo as primeiras raças de cães e os cães de vila encontrados nas Américas e nas Ilhas do Pacífico são quase todos descendentes da linhagem de cães europeus. Isso, provavelmente, se deve à grande prole de cães criados nos tempos vitorianos.

História

Segundo os historiadores, a esse respeito, parece que o cachorro neolítico de mais de 7.000 anos da Europa é praticamente um antepassado da maioria dos cães de raça modernos encontrados em todo o mundo. Essa relação ancestral pode até se esticar de volta ao fóssil do cachorro mais antigo já encontrado, na Alemanha, que tem aproximadamente 14 mil anos de idade.

Evidências anteriores sugeriram que os primeiros cães domésticos apareceram em lados opostos do continente euroasiático, há mais de 12 mil anos. Mais tarde, de acordo com essa teoria, os cachorros orientais teriam se movimentado com os seres humanos migratórios e passaram a ser criados com os humanos do ocidente.

Estudiosos afirmam, ainda, ser importante ver mais genomas de cães antigos publicados pois há uma história fascinante para eles e as pesquisas estão sendo feitas apenas superficialmente. Segundo eles, quanto mais se consegue desvendar a história dos cães, mais é possível ter uma chance de, finalmente, descobrir como os cães se tornaram bons amigos dos seres humanos por tanto tempo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *