Pássaro bebê encontrado em âmbar viveu com os dinossauros

passaro-no-ambar

Pássaro bebê encontrado em âmbar viveu com os dinossauros

O mais completo pássaro encontrado em âmbar até agora, o bebê pássaro tem cerca de 99 milhões de anos.

Não podemos viajar para o tempo do Cretáceo, não temos fotos, nem temos pinturas ou desenhos das cavernas. Mas, graças às importantes qualidades de preservação da âmbar (uma resina fóssil), podemos, ainda assim ter vislumbres extraordinários de alguns dos organismos que chamaram o planeta Terra sua casa há milhões de anos.

Havia pequenos pedaços e partes de coisas emplumadas encontradas em âmbar antes, mas, agora, metade de um filhote de ovo recém eclodido foi encontrado e descrito em um novo artigo, com a maior parte do crânio e pescoço do pássaro, juntamente com parte de uma asa, membro posterior e cauda, tudo perfeitamente preservado. É o pássaro mais completo encontrado em âmbar até agora.

O espécime fossilizado foi obtido em Mianmar em 2014 por Guang Chen, diretor do Museu Hupoge Amber na cidade de Tengchong, na China, depois de ter ouvido falar sobre uma amostra de âmbar com uma estranha inclusão de ‘garra de lagarto’. Chen levou a amostra para pesquisadores que identificaram a garra como um pé Enantiornithine. Imagens adicionais do espécime revelaram a notável extensão de preservação obscurecida por trás de camadas espessas de âmbar, restos de plantas carbonatadas e bolhas cheias de argila. 

Segundo especialistas, é a visão mais completa e detalhada a que já tiveram acesso. Um dos pesquisadores que descreveu a descoberta disse que ver algo tão completo é incrível, simplesmente deslumbrante.

A equipe, que apelidou o bebê de Belone, ficou extremamente surpresa com o que eles estavam vendo. Os estudiosos pensaram que tinham apenas um par de pés e algumas penas antes de o objeto passar estudo com imagens de tomografia computadorizada. Segundo integrantes da equipe, foi um grande achado.

A surpresa continuou quando começaram a examinar a distribuição de penas e perceberam que havia folhas translúcidas de pele que ligavam muitas regiões do corpo. Elas apareceram nos dados de tomografia computadorizada, acrescentaram os estudiosos.

Com base nas peças preservadas, a equipe identificou o filhote recém chocado como membro do extinto clan avental Enantiornithes, Os pesquisadores descrevem a pequena ave como o ‘jovem infeliz’ (porque não há nada pior do que cair em uma poça de seiva de pinheiro pegajoso de onde você não poderá sair nunca mais).

O bebê pássaro pertencia a um grupo de aves conhecidas como ‘pássaros opostos’ – criaturas que viviam junto com os ancestrais de pássaros modernos. Essas espécies chamadas pássaros opostos apresentavam características interessantes, como garras em suas asas, mandíbulas e dentes em vez dos tradicionais bicos. Segundo os estudiosos, eles viveram com os dinossauros há milhões de anos atrás. 

Ao analisar seu padrão, os pesquisadores determinaram que o pequeno pássaro estava apenas em seus primeiros dias ou semanas de vida antes de sucumbir à resina. Suas penas apareciam com uma série de tons sutis que variavam de branco e marrom a cinza escuro.

Fenômenos naturais que você nunca deve enfrentar

Fenômenos naturais que você nunca deve enfrentar

Não puxe a capa de Superman e nunca se envolva em uma guerra terrestre na Ásia. Há muitas coisas que nós, seres humanos, simplesmente não devemos fazer. Quer se trate de um tsunami, uma inundação ou um terremoto, a primeira coisa que as pessoas costumam fazer quando confrontadas com uma ameaça é tentar fugir. Dirigir-se para lugares errados, no entanto, pode muito bem colocá-las em um perigo ainda maior do que permanecer no local. Confira 7 das mais perigosas ameças que você nunca deve tentar ultrapassar.

Tornado

Os caçadores de tempestades mais loucos que você vê na TV sabem o suficiente para não tentar ultrapassar um tornado. Eles apenas tentam ficar longe o suficiente para evitar sua ira. Para os amadores, a melhor coisa a fazer é procurar abrigo. As rotas de evacuação podem ser facilmente obstruídas com carros, especialmente em pequenas cidades e áreas rurais com menos opções de saída. Isso deixa as pessoas que tentam fugir de um tornado na posição mais vulnerável. A melhor opção é ir para o porão de sua casa, ou pelo menos, para a área mais próxima do chão. Use travesseiros e cobertores para cobrir-se de objetos caindo.

Uma inundação 

A melhor maneira de reagir a uma situação de inundação grave é fazer exatamente o oposto do que você faria em um tornado. Em outras palavras, procure o terreno mais alto possível. Correr ou dirigir para uma área de inclinação, longe da crescente inundação de água, também pode ser perigoso. Apenas 15 centímetros de água em ascensão podem ser suficientes para varrer uma pessoa pelos seus pés, enquanto 46 centímetros de água subindo podem levar um veículo para longe. 

Além disso, as águas de uma enchente podem esconder detritos, buracos e entre outras coisas capazes de tornar as estradas intransitáveis. Se o seu carro parar, abandone-o imediatamente e vá para o terreno alto.

Correntes de retorno

A maioria das pessoas não tentará fugir de uma corrente de retorno. Elas, provavelmente, esperam superá-la. Uma corrente inesperadamente forte que se forma em pontos baixos ou quebras em um banco de areia pode mover-se a uma velocidade de até 2,4 metros por segundo. Nadar em direção à costa pode ser o seu primeiro movimento quando um mergulho no oceano está ameaçado por um poderoso canal de retorno.

Especialistas dizem que essas correntes são difíceis de superar, e aqueles que tentam fazê-lo podem ficar cansados (e se afogar) antes de chegar à terra firme. Em vez disso, navegue paralelamente à corrente. É provável que ela tenha menos de 30 metros de largura. Se isso não funcionar, boie de costas e deixe a corrente levá-lo para longe da costa até que você tenha passado por ela. Em seguida, tente nadar ao redor dela ou para a costa.

Um terremoto 

Como em todos os outros cenários de emergência apresentados até agora, é importante manter a calma quando a terra começa a tremer. Se você estiver dentro de casa, afaste-se das janelas, deite sob uma mesa resistente ou outra área de proteção e cubra sua cabeça com um travesseiro. Na falta disso, vá para uma parte interior da casa e proteja sua cabeça.

Se você estiver fora, vá para uma área aberta, longe de edifícios, linhas de energia e outros perigos potenciais que poderiam ser derrubados durante um terremoto. Se você estiver dirigindo, tire seu veículo do trânsito e estacione-o em algum lugar que também esteja livre de árvores, sinais de trânsito e postos de luz, se possível. A maioria das pessoas são feridas em um terremoto quando atingidas por objetos caindo enquanto tentam entrar ou sair de um prédio.

Descoberta de DNA revela mistério

Descoberta de DNA revela o mistério das civilizações gregas

A investigação do DNA está lançando nova luz sobre a misteriosa civilização minoica antiga, na ilha de Creta, e seus homólogos no continente grego, os micênicos. As civilizações eram as primeiras sociedades alfabetizadas da Europa e eram os antepassados culturais da Grécia clássica posterior. A civilização minoica existia de 2600 a 1100 aC. E os micênicos existiram de cerca de 1700 a 1050 aC.

Os minoanos há muito têm intrigado historiadores. A civilização criou o primeiro sistema de escrita europeu e construiu vastos complexos de palácios com arte vibrante, mas pareceu surgir no isolamento, disseram especialistas.

Indícios sobre suas origens foram difíceis de encontrar. Enquanto o antigo palácio de Knossos em Creta oferece uma visão de sua sociedade e os minoicos são proeminentes na mitologia grega, sua escrita principal, conhecido como Linear A, não foi decifrada.

Agora, pesquisadores perfuraram o DNA antigo para encontrar respostas. Há uma variedade de arqueologia, linguística e lendas difíceis que nos dão uma ideia sobre o que estava acontecendo em Creta durante o período minoico, o que levou a muitas teorias sobre a origem dos minoanos. Mas, não há fatos reais, porque a língua era única e desconhecida e não está claro que os parentes dos minoicos estavam fora de Creta.

Os pesquisadores analisaram dados genômicos de 19 indivíduos, incluindo minoanos, micênios, um indivíduo neolítico da Grécia antiga e indivíduos da Idade do Bronze do sudoeste da Anatólia, que está na Turquia moderna. Ao comparar as informações geradas com dados publicados anteriormente, de cerca de 3.000 outras pessoas, antigas e modernas, os pesquisadores conseguiram avaliar as relações entre os grupos.

Os resultados mostram que os minoanos eram geneticamente muito semelhantes aos micênicos. Indivíduos em ambas as civilizações compartilhavam mais de 75% de sua ascendência com as pessoas que viviam na Grécia e no oeste da Turquia, milhares de anos antes, durante o período Neolítico.

Para os pesquisadores isso é notável – foi a continuidade genética com os primeiros agricultores da Europa. Eles se estabeleceram na região cerca de 4.000 anos antes das culturas minoenas e micênicas. Segundo os estudiosos é muito surpreendente porque os micênicos eram, em muitos aspectos, culturalmente diferentes dos minoanos: suas tumbas estão repletas de armas, eles tinham cavalos, carros e eram muito hierárquicos porque enterraram seus chefes com grandes quantidades de ouro e construíram suas citadelas “ciclopes” com grandes blocos de pedra calcária. Os últimos micênios são, geralmente, identificados com a Aqueus da Ilíada de Homer, que eram as pessoas que derrubaram Troia.

O restante da ascendência dos minoanos e micênios veio da Armênia, Geórgia e Irã. A ascendência da última civilização também pode ser rastreada para a Europa Oriental e a Sibéria, de acordo com pesquisadores, que observaram que os gregos modernos são, geneticamente, semelhantes aos micênicos.

É possível afastar algumas das místicas que cercam essas pessoas ao mostrar que elas não eram tão diferentes das que vieram antes ou depois delas, afirmam os estudiosos. Os minoanos e os micênicos não tinham nenhuma ascendência especial: eles eram feitos das mesmas formas que outras pessoas da Europa e do Oriente Médio. Portanto, não se pode responder à questão de por que essas civilizações floresceram há milhares de anos, mas pode-se, pelo menos, lançar alguma luz sobre quem eram e de onde vieram.

Como os cães e os homens se tornaram bons amigos?

Como os cães e os homens se tornaram bons amigos?

Um estudo sugere que os cães, provavelmente, evoluíram dos lobos entre 20 e 40.000 anos atrás. Anteriormente, pensava-se que os cães eram domesticados de duas populações de lobos que viviam a milhares de quilômetros de distância. Os pesquisadores estudaram o DNA de três cães encontrados em sítios arqueológicos na Alemanha e na Irlanda, que tinham entre 4.700 e 7.000 anos de idade. Esses animais antigos compartilhavam a ascendência com cães europeus modernos.

Ao analisar as taxas de mudança para o DNA do espécime mais antigo, os cientistas conseguiram colocar o tempo da domesticação de cães entre 20.000 e 40.000 anos atrás. Segundo os estudiosos, o processo de domesticação de cães começou quando uma população de lobos se mudou para os arredores de acampamentos de caçadores a fim de aproveitar as sobras de seus alimentos. Os estudiosos afirmam que aqueles lobos que eram mansos e menos agressivos, o que favorecia o processo de aproximação.

Embora os humanos não obtivessem, inicialmente, nenhum benefício desse processo, ao longo do tempo teriam desenvolvido algum tipo de relação simbiótica com esses animais, que foram, gradualmente, evoluindo para os cães que vemos hoje.

O DNA foi obtido a partir do crânio de um cão antigo

A história de como os cães vieram a ser domesticados por lobos é complexa e muito debatida. Os cientistas acreditam que os cães começaram a se mover ao redor do mundo, talvez com seus companheiros humanos, cerca de 20 mil anos atrás.

Cerca de 7.000 anos atrás, eles estavam em praticamente todos os lugares, embora não fossem o tipo de cães que considerássemos animais de estimação. Eles provavelmente se pareceriam com os cães que hoje chamamos de cães da vila, que são de criação livre, mas que não viveriam em casas de pessoas específicas e teriam um olhar semelhante para todas elas, de acordo com os pesquisadores.

Os cães foram, mais tarde, criados e domesticados por suas habilidades como caçadores ou pastores, gerando centenas de raças modernas. A pesquisa sugere que mesmo as primeiras raças de cães e os cães de vila encontrados nas Américas e nas Ilhas do Pacífico são quase todos descendentes da linhagem de cães europeus. Isso, provavelmente, se deve à grande prole de cães criados nos tempos vitorianos.

História

Segundo os historiadores, a esse respeito, parece que o cachorro neolítico de mais de 7.000 anos da Europa é praticamente um antepassado da maioria dos cães de raça modernos encontrados em todo o mundo. Essa relação ancestral pode até se esticar de volta ao fóssil do cachorro mais antigo já encontrado, na Alemanha, que tem aproximadamente 14 mil anos de idade.

Evidências anteriores sugeriram que os primeiros cães domésticos apareceram em lados opostos do continente euroasiático, há mais de 12 mil anos. Mais tarde, de acordo com essa teoria, os cachorros orientais teriam se movimentado com os seres humanos migratórios e passaram a ser criados com os humanos do ocidente.

Estudiosos afirmam, ainda, ser importante ver mais genomas de cães antigos publicados pois há uma história fascinante para eles e as pesquisas estão sendo feitas apenas superficialmente. Segundo eles, quanto mais se consegue desvendar a história dos cães, mais é possível ter uma chance de, finalmente, descobrir como os cães se tornaram bons amigos dos seres humanos por tanto tempo.

Fatos loucos sobre como ser atingido por raios

Fatos loucos sobre como ser atingido por raios (e como evitá-los)

Bem-vindo ao mundo selvagem de ataques de relâmpagos.

O ano foi 1969, quando Steve Marshburn foi atingido por um raio. Ele não estava num campo de golfe ou pescando, ele estava trabalhando dentro de um banco. O raio encontrou um caminho através de um alto-falante subterrâneo e abriu caminho para o banco onde ele sentou.

Ele ainda tem enxaquecas. O relâmpago lhe atingiu as costas e subiu pela coluna vertebral, foi para o lado esquerdo do cérebro dele, queimou, desceu, saindo pela mão direita que estava segurando um carimbo de metal.

Isso mostra que um raio é uma besta rebelde, difícil de prever e cheio de surpresas.  Considere o seguinte:


1. Raios atingem os Estados Unidos cerca de 25 milhões de vezes ao ano. Embora a maioria dos relâmpagos ocorra no verão, as pessoas podem ser atingidas em qualquer época do ano.


2. A ideia de um raio atingindo uma pessoa diretamente parece tão aleatória, mas na verdade, a maioria das pessoas machucadas ou feridas não foi atingida diretamente. As pessoas podem ser vítimas de relâmpagos atingindo um objeto próximo quando a corrente salta, bem como através da condução da corrente pela terra.

3. Uma vez que os raios afetam uma área muito maior do que as outras, a corrente viaja sobre a superfície do solo – esse tipo provoca mais mortes e ferimentos. É especialmente ruim para gado.

4. Como evidenciado pela experiência de Marshburn, você não precisa estar afastado para ser prejudicado por raios nas proximidades.

5. As lesões cerebrais são a lesão mais comuns – ao invés de queimaduras – de ataques de relâmpagos.

6. Ser atingido por relâmpagos pode criar um desconforto permanente ao longo da vida porque eles causam danos que fazem com que os nervos falhem, o que o cérebro lê como dor.

7. Mesmo que existam relâmpagos até hoje, o número de atingidos é muito menor do que na década de 1940, quando 300 a 400 pessoas morreram anualmente. A maioria das casas tinha telefones com fio. Então, as pessoas os mantinham na cabeça, era uma conexão direta com fios lá fora. Além disso, havia mais agricultores sentados em tratores abertos adicionados aos números de atingidos.

8. Enquanto as pessoas pensam que os jogadores de golfe estão em maior risco, entre 2006 e 2014, as pessoas que pescavam representaram mais de três vezes o número de mortos atingidos por raios que os jogadores de golfe. Enquanto o acampamento e o barco eram responsáveis por quase duas vezes mais mortes que o golfe.

9. Durante o mesmo período, a maioria das vítimas era do sexo masculino entre 10 a 60 anos. Quase dois terços deles estavam envolvidos em atividades de lazer ao ar livre antes de serem atingidos.

10. Para medir a distância do relâmpago, conte os segundos entre o flash e o trovão e divida-os por cinco. O número é de quantos quilômetros o relâmpago está de você.

11. Durante as tempestades, o raio pode atingir até 16 quilômetros de distância. Essa distância é quando você pode começar a ouvir trovões, e é por isso que os especialistas em segurança nos aconselham a entrar para dentro de locais cobertos assim que ouvimos um rumor distante. Muitas vítimas foram não foram para ambientes seguros no momento do ataque fatal ou estavam a poucos passos da segurança.

Além disso, siga estas dicas de segurança:


Quando você ouvir trovões, entre imediatamente para um abrigo seguro: um edifício com eletricidade ou um veículo fechado com cobertura de metal com janelas.

Mantenha abrigo seguro pelo menos 30 minutos depois de ouvir o último som de trovão.

Mantenha desligados os telefones com fio, computadores e outros equipamentos elétricos que o colocam em contato direto com a eletricidade.

Evite encanamentos, incluindo pias, banheiras e torneiras.

Fique longe das janelas e das portas e fora das varandas.

Não se deite em pisos de concreto e não se incline contra paredes de concreto.

Se você for pego lá fora, sem abrigo seguro em qualquer lugar nas proximidades, as seguintes ações podem reduzir seu risco:

Saia imediatamente de áreas elevadas, como colinas ou cumes de montanhas.
Nunca fique deitado no chão.

Nunca se abrigue sob uma árvore isolada.

Nunca use um penhasco ou saliência rochosa para abrigo.

Saia imediatamente de perto de lagoas, lagos e outros corpos de água.
Fique longe de objetos que conduzem eletricidade (cercas de arame farpado, linhas de energia, moinhos de vento, etc.).

9 segredos para ter filhos criativos

9 segredos para ter filhos criativos

Ajudar as crianças a explorarem sua imaginação pode ser o objetivo de aprendizagem mais importante que você pode implementar.

1. Confie no processo

Os pais e as crianças podem estar se concentrando demais no resultado final, dizem especialistas. Ou você tem que acabar com uma bela obra-prima ou o resultado falhou. Se você está desenhando uma casa, ela tem quatro paredes e um retângulo. Isso é muito limitado! Há um milhão de tipos de casas no mundo! Se você vê beleza no processo, ele se torna muito mais divertido.

2. Pergunte tudo

Passe algum tempo com uma criança em idade pré-escolar e você verá elas são especialistas em perguntar por quê? Por quê? Por quê? À medida que elas vão crescendo, tendem a parar com os questionamentos e, em vez disso, a ligar o piloto automático. Ajudar seu filho a preservar esse senso de pesquisa é crucial para uma mentalidade criativa, dizem estudiosos.

A criatividade é sobre não aceitar as coisas como são, trata-se de saber como poderiam ser melhores. Podemos olhar para um brinquedo e perguntar aos nossos filhos: Como você acha que o brinquedo foi feito? Se ele disser que começou como um pedaço de plástico, a próxima pergunta deve ser: O que você acha deles? Estimule sempre os questionamentos.

 3. Faça ser engraçado

 Se você tem um bom senso de humor, você já é altamente qualificado em olhar as coisas de maneiras alternativas – uma marca de pensamento divergente. O humor deixa as crianças praticarem de forma divertida. Os enigmas e as piadas podem levar as crianças ao modo de respostas múltiplas.

  
4. Dê a eles um começo

 As crianças muitas vezes acham uma página em branco intimidante. Então, forneça uma pequena estrutura e dê um passo para trás. Sente-se no computador e comece a digitar as primeiras palavras no topo de da página branca. Deixe muito espaço para que as crianças preencham o resto e depois ilustrem. Isso faz com que ela elaborem suas ideias, sendo criativas.

 5. Solicite sua ajuda com problemas

As ideias mais criativas não são apenas novas, elas são úteis. Então, solicite a ajuda do seu filho: que tipo de brinquedo podemos fazer para o cachorro? O que podemos fazer sobre a reciclagem do lixo que sempre está transbordando da lixeira? Façam uma tempestade de ideais, depois implementem-as juntos, dando aos seus filhos a prática de solução de problemas. Envolver as crianças em seus próprios esforços diários também pode ajudá-las a ver que a criatividade está em todos os lugares.


6. Seja um Modelo 

Alguns pais estão muitas vezes imersos em seus próprios projetos ao lado das crianças. Muitos estão sempre fazendo móveis de casas de boneca e alimentos em miniatura. Na área de costura, um artista trabalha em uma colcha elaborada por semanas. E se uma criança vê um artista fazer algo, ela pode querer tentar também. Você pode fazer o mesmo em casa. Sente-se e trabalhe ao lado de seu filho, ou se entusiasme com o seu último projeto de acabamento de móveis. Deixe-o assistir, fale sobre o que você está fazendo, encontre formas de compartilhar o que você ama.

7.Exponha-o a diferentes pontos de vista 

Ver diferentes pontos de vista permite que você olhe o mundo de novas maneiras, dizem especialistas que estudam a criatividade em crianças. Essa perspectiva pode resultar em novas ideias, fazendo você questionar seus pressupostos. Ler um livro sobre uma cultura diferente pode dar às crianças uma nova perspectiva. Estudiosos sugerem aos pais que peçam aos seus filhos para colocarem os sapatos do personagem. Em breve você começará a ver a criatividade que vale a pena compartilhar em todos os lugares.


8. Deixe lacunas em seu horário 

As crianças precisam de tempo no seu dia para se envolver em atividades de sua própria escolha, afirmam pesquisadores. A atividade mais enriquecedora pode não ser outra rodada de aulas de línguas, mas, sim, mexer em uma pilha de folhas. As crianças que passam mais tempo em atividades de forma livre são mais capazes de estabelecer seus próprios objetivos e ter atitudes para atendê-los sem pressionar os adultos, de acordo com estudos.

Agora, essa é uma habilidade para toda a vida! Isso pode significar que você precisa ser firme diante das palavras de como: ‘Estou entediado’. O tédio encoraja a sonhar acordado, um estado em que a mente erra e permite que você olhe as coisas de novas maneiras. Um outro trabalho relacionado ao tema mostrou, por exemplo, que os sujeitos que foram convidados a ler uma lista telefônica em voz alta, tiveram mais ideias para usar copos descartáveis depois desse teste clássico de pensamento divergente em comparação com aqueles que não tinham passado por essa tarefa estressante. Pense no tédio ocasional como recesso para o cérebro do seu filho. 

9. Apoie suas paixões 

As grandes conquistas criativas da vida – um novo concerto, uma teoria inovadora sobre como acabar com o aquecimento global – exigem um longo aprendizado para o qual você precisa desenvolver uma profunda especialização. É necessário paixão para alimentar essa persistência. A criatividade vem da motivação. Isso acontece apenas quando você sente prazer em fazer alguma coisa. Por isso, exponha seu filho a muitas atividades – balé, programação de computadores, entre outras – para ver se ele encontra algo que o atrai. Se ele se apaixonar pela robótica, encontre maneiras de encorajar seu entusiasmo, essa paixão pod

O leite materno pode provocar amor de vegetais?

O leite materno pode provocar amor de vegetais?

Pense nisso como uma estratégia de combate na guerra contra o consumo seletivo!Quer que seu filho coma vegetais desde a pré-escola sem fazer cara feia? Tente comer vegetais enquanto está amamentando. Essa é a mensagem de um novo estudo feito com mães lactantes e seus bebês. O trabalho descobriu que aquelas crianças que tomavam leite materno de mães que comiam vegetais eram menos propensos a se afastarem de alimentos com sabores similares quando começaram a comer alimentos mais sólidos.

A experiência sensorial de todos os bebês é única, mas o sabor de seu primeiro alimento, começando no útero, depende do que a mãe está comendo, afirmam especialistas. Quando uma mãe grávida come vegetais, os bebê os saboreiam pelo líquido amniótico – e mais tarde, pelo leite materno – e esse gosto é transmitido ao bebê. Como resultado, os pesquisadores disseram que, se os bebês descobrirem cedo o sabor dos vegetais, eles serão menos propícios a gritar e cuspir quando lhes forem oferecidas as primeiras colheres de vegetais.

Essa é uma bênção para os pais e para a saúde do país. Um em cada quatro crianças americanas não come nem um tipo devegetal por dia, observaram os autores do estudo. Como muitas de suas mães e outros adultos, as crianças são mais propensas a escolher lanches salgados e bebidas açucaradas, que contribuem para a obesidade e doenças crônicas.

Pais devem ser exemplo


Todo mundo quer levar o bebê para um bom começo e as primeiras semanas de vida são período nobre para que bebês e mães desenvolvam o gosto por alimentos saudáveis.
Estudiosos afirmam as preferências alimentares das crianças são fortemente influenciadas pelo que seus pais comem. Se a dieta de uma mãe tem variedade, ela ensina suas crianças a erem mais abertas aos novos sabores que lhes forem ofertados, porque, em algum momento da vida, foram expostas a eles.

Embora pesquisadores tenham dito que outros estudos mostram que os bebês amamentados têm menos probabilidades de se tornarem seletivos quanto ao gosto por alimentos, eles dizem que as mães que não conseguem amamentar ou optam por não fazê-lo não devem se apavorar.

Ofereça sempre alimentos saudáveis

Apenas tenha certeza de que você está oferecendo a sua família alimentos saudáveis. Deixe as crianças experimentarem não apenas sabores diferentes, mas texturas diferentes. E não desista. Pode levar de 10 a 20 tentativas para uma criança decidir se ela gosta ou não de um alimento.

O papel dos pais é ser um bom exemplo. O necessário, muitas vezes, é só relaxar um pouco e continuar oferecendo alimentos diferentes. No final, provavelmente, você terá filhos que não são tão e exigentes mas que apresentarão padrões saudáveis.